Poesia

(Prólogo, seleção e tradução de Carlos Taibo)

Desejo, além disso, que o galego se aproxime e confunda com o português.
Castelão, carta a Claudio Sánchez Albornoz

Parece que não é difícil explicar por que o galego tem sido a última das línguas de Ibéria a beneficiar da tradução da poesia de Pessoa: a razão principal mostra-nos a evidente distância que separa duas línguas tão diferentes como são o galego e o português, extremamente afastadas entre si no ámbito fonético, no morfológico, no sintático e no do querer das gentes. Essa distância entre as línguas teria provocado, com certeza, que aqueles que consideraram no passado a possibilidade de traduzir Pessoa para galego preferissem abandonar a tarefa. Não foi, porém, esse o meu caso, ainda que, confesso, em alguns momentos senti fortemente a tentação de verter para galego a poesia inglesa de Pessoa, trabalho sem dúvida mais fácil, pela proximidade das línguas e por contar-mos nós, na Galiza, com uma política oficial que se propõe outorgar um papel privilegiado ao inglês, companheiro constante do espanhol quando falamos de cousas sérias.

Nota do responsável desta antologia

Escritor
Colección
Fuera de Colección
EAN
9788483199411
ISBN
978-84-8319-941-1
Páginas
128
Ancho
13,5 cm
Alto
21 cm
Fecha publicación
24-09-2014
Número en la colección
44
Edición en papel
10,00 € <<<Añadir al carrito